798 peças de vidro vão criar espelho do maior telescópio óptico do mundo

A equipe coordenada por Caroline Gray trabalha na criação de protótipos para as 798 peças hexagonais que, juntas como num puzzle, darão origem ao espelho de 39 metros do European Extremely Large Telescope (o Telescópio Europeu Extremamente Grande).

Previsto para funcionar entre 2024 e 2026, o telescópio é um projecto do Observatório Europeu do Sul (grupo composto por 16 países-membros). A tecnologia  para criar o espelho do maior telescópio óptico do mundo está sendo desenvolvida em Saint Asaph, no País de Gales. Já a peça será construída no monte Armazones, no Chile.

telescopio

Neste tipo de telescópio, o espelho é a peça óptica fundamental e construir um com 39 metros de diâmetro – e apenas cinco centímetros de espessura – implica desafios técnicos numa escala nova. O Grande Telescópio das Canárias, atualmente o maior do mundo, tem um espelho de dez metros.

O processo é longo: cada hexágono demora cerca de seis semanas para ficar pronto – e envolve cortar o vidro, poli-lo com uma precisão nanométrica, testar, voltar a polir e voltar a testar, e repetir o processo muitas vezes. A forma sai de uma peça de vidro redonda de 1,5 metros de diâmetro e 130 quilos, que é importada da Alemanha.

Para fazer da criação do puzzle um verdadeiro quebra-cabeças ainda mais complexo, há  sete padrões distintos de peças, que no final terão de encaixar na perfeição, daí a precisão do corte, monitorado por dois nanômetros.

No Chile, a estrutura em forma de abóboda que será a base do telescópio terá 100 metros de altura. Espera-se que o Telescópio Extremamente Grande seja capaz de produzir imagens 16 vezes mais nítidas do que as do telescópio espacial Hubble.