Conheça o arquiteto da mansão de Gisele Bündchen

Polêmico e conhecido por obras extravagantes construídas para ricos e celebridades, o canadense Richard Landry, o arquiteto da mansão de Gisele Bündchen na Califórnia, divide opiniões quanto à qualidade arquitetônica de seus trabalhos. Sem um estilo definido e conceitual, ele deixa claro que faz obras para agradar seus clientes, e para isso, não poupa esforços, inclusive fazendo adaptações no projeto – como incluir várias piscinas ou jacuzzis na mesma mansão.

A mansão de Gisele Bündchen foi projetada por Landry. A top abriu a residência para a Architectural Digest em 2013.

A mansão de Gisele Bündchen foi projetada por Landry. A top abriu a residência para a Architectural Digest em 2013.

Aos 57 anos, Landry é um dos arquitetos residenciais de alto luxo mais procurados no sul da Califórnia, e sua firma, a Landry Design Group, emprega 50 pessoas que desenvolvem dezenas de projetos, em vários estágios, ao redor do mundo.

Além do visual exuberante, a mansão projetada pelo arquiteto Richard Landry tem um "rooftop" para festas e piscina redonda. Detalhe também para a lareira ao ar livre.

Além do visual exuberante, a mansão projetada pelo arquiteto Richard Landry tem um “rooftop” para festas e piscina redonda. Detalhe também para a lareira ao ar livre.

Entre seus projetos exuberantes, além da mansão da Gisele Bündchen (com 1.160 m² e de inspiração francesa, onde a top mora com o marido Tom Brady e os filhos), há uma outra mansão em estilo europeu, projetada para o ator Mark Wahlberg, construída em em Beverly Park – com 2.800 m², uma quadra de basquete e duas Jacuzzis. E que tal a “Ultimate Home”, construída em 2011, que tem nada menos que 28 quartos, 32 banheiros, vidro, aço e pedra parecendo tombar em uma encosta da Bell-Air?

"Ultimate Home", de 2011: 28 quartos, 32 banheiros, vidro, aço e pedra compõem a mansão

“Ultimate Home”, de 2011: 28 quartos, 32 banheiros, vidro, aço e pedra compõem a mansão

Para James Magni, designer de interiores de Los Angeles, Landry é único em sua habilidade de mudar como um camaleão para atender aos desejos de seus clientes. Essa “vantagem”, que atrai os mais afortunados para seu seleto grupo de clientes, é também o que acaba denegrindo sua imagem para os mais ortodoxos, que o chamam, maldosamente, de “arquiteto do 1%”, indicando a porcentagem dos detentores da maior parte da riqueza norte-americana.

No foyer projetado por Landry há um átrio que oferece luz natural ao interior amplo de passagem - com paredes de pedra, há estruturas de madeira maciça e luminárias enormes.

No foyer projetado por Landry há um átrio que oferece luz natural ao interior amplo de passagem – com paredes de pedra, há estruturas de madeira maciça e luminárias enormes.

(via The New York Times / Uol)