Cresce a importância de projetos arquitetônicos que asseguram conforto térmico e eficiência energética

Segundo o escritório Gifford Arquitetos, recursos como cobertura verde, telha térmica, vidros de controle solar e uso de lâmpadas LED permitem reduzir o calor dentro das residências, além de economizar energia

araras                                                     Residência em Araras, SP – Gifford Arquitetos

A chegada do verão, com previsão de altas temperaturas, volta a atrair a atenção do mercado da construção para a importância de projetos arquitetônicos que garantam maior conforto térmico, simultaneamente à redução do consumo de energia.

Os recursos disponíveis se ampliam de forma crescente, com novas tecnologias ou ideias. O arquiteto Marcio Gifford, do escritório Gifford Arquitetos, destaca algumas sugestões que podem tornar o calor mais ameno nas residências.

Com excelente resultado em termos de conforto térmico, impacto visual e aproveitamento do espaço, a instalação de coberturas verdes, sobre as lajes dos telhados, é um recurso que reúne uma série de benefícios. “Esse tipo de cobertura reduz a temperatura em torno de dois ou três graus e permite a instalação de um espaço verde e de lazer na cobertura da residência, ampliando a área útil do imóvel”, destaca Marcio Gifford, que desenvolveu um projeto residencial nesses moldes, na cidade de Araras – região de elevadas temperaturas no decorrer do ano, com projeto paisagístico do escritório de paisagismo Alex Hanazaki.

Na cobertura verde, o dono da residência pode instalar o projeto paisagístico que mais lhe agradar – desde que observe a exigência de plantas com raízes menos profundas, como arbustos, flores ou algumas árvores de pequeno porte -, além de colocar bancos e cadeiras. Gifford apenas alerta sobre a importância de se fazer o tratamento de impermeabilização da laje, com a posterior instalação de manta bidin e argila expandida, antes da terra e vegetação.

Outro recurso para garantir uma temperatura interna mais amena são as telhas térmicas, também chamadas de “telhas sanduíche”, que chegam a bloquear até 95% do calor e do frio e são compostas por uma telha comum, por material de propriedade térmica e acústica e pelo material de acabamento.

“O uso das telhas térmicas, antes restritas às edificações comerciais e industriais, vem se ampliando em residências, porque asseguram um excelente isolamento térmico e também acústico, são de fácil instalação, têm um custo de manutenção baixo e preços atrativos”, observa o sócio do escritório Gifford Arquitetos, que também utilizou este recurso no projeto em Araras.

As telhas térmicas têm a vantagem de permitir um alto nível de customização, com opções diferentes de matéria-prima (aço galvanizado, aço galvalume ou aço pré-pintado), espessura, tamanho, acabamento e cor – podendo inclusive ser usada como forro. Há inclusive produtos que se assemelham às telhas convencionais de barro.

Outro recurso importante para garantir o conforto térmico é a utilização de vidros de controle solar. Embora sejam mais frequente em projetos corporativos e edifícios comerciais, também começam a conquistar a preferência dos donos de residências, devido às inúmeras vantagens em termos de economia de energia e redução do calor do sol, sem prejuízo da claridade, e por seu impacto visual interessante, dando uma característica mais contemporânea aos projetos.

Também o tipo de lâmpadas utilizado faz uma grande diferença em termos da temperatura do ambiente. As lâmpadas de LED são recomendadas, sob esse aspecto, por gerarem menos calor, além de ter a vantagem de economizar energia.

“Todos os recursos que asseguram uma temperatura mais amena no interior do ambiente contribuem também para reduzir a utilização de ar condicionado ou mesmo de ventiladores no verão, contribuindo para poupar energia”, completa ele.