Exército recebe primeiro carro elétrico, parte do projeto-piloto de energia

O comandante do Exército, general Villas Bôas, e o Diretor da Itaipu Binacional, Jorge Samek, abastecem o primeiro veículo elétrico/ Foto: Tereza Sobreira

O comandante do Exército, general Villas Bôas, e o Diretor da Itaipu Binacional, Jorge Samek, abastecem o primeiro veículo elétrico/ Foto: Tereza Sobreira

 

O Exército Brasileiro recebeu, na última terça-feira (26), o primeiro veículo elétrico e um eletroposto, que fazem parte do projeto-piloto de segurança energética. Tanto o veículo quanto o posto de abastecimento serão monitorados pelo sistema de gestão de mobilidade inteligente Mob-i.ME, que captará energia solar por meio de 12 baterias de sódio que acumulam até 282kWh.

Pioneiro no Brasil, o projeto-piloto Segurança Energética Módulo de Armazenamento de Energia possui um sistema híbrido, que pode coordenar várias fontes de energia simultaneamente, como a solar, eólica, hidrelétricas, diesel, biometano e geotérmica. Esse processo irá gerar uma economia de aproximadamente R$ 30 mil ao Exército por mês, cerca de 10% da sua fatura de energia. Essa economia poderá dobrar, caso o sistema seja acionado no horário de ponta, momento em que a energia custa mais caro.

A cerimônia de lançamento do projeto-piloto e da entrega do carro elétrico aconteceu no quartel general do Exército no Setor Militar Urbano, em Brasília. A concepção deste projeto é uma parceria entre a Força Terrestre, Itaipu Binacional e Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI).

“No nosso desenvolvimento militar, no aperfeiçoamento de sistemas de Defesa, o grande gargalo que encontramos hoje está exatamente na capacidade precária, ainda, de armazenamento de energia. O que estamos fazendo aqui tem uma clara e importantíssima perspectiva de futuro”, afirmou o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas.

“A Defesa será tão mais forte, quanto mais forte for a participação da área empresarial, da economia como um todo e da área científica e tecnológica”, defendeu o general.

O carro, da marca renault fluence Z, sendo carregado no eletroposto instalado no Quartel General do Exército em Brasília/ Foto: Tereza Sobreira

O carro, da marca renault fluence Z, sendo carregado no eletroposto instalado no Quartel General do Exército em Brasília/ Foto: Tereza Sobreira

 

Carro elétrico
O carro, da marca renault fluence Z, possui motor de 70kw de potência com desempenho semelhante a um carro convencional movido à gasolina com motor 2.0 e 16 válvulas. O sistema Mob-i, que fará o monitoramento, foi desenvolvido pela empresa de tecnologia de Portugal CEiiA em parceria com a o Parque Tecnológico de Itaipú. O sistema permite monitorar a localização do carro, velocidade, deslocamento e redução da quantidade de CO2 emitidos.

O veículo foi cedido ao Exército em empréstimo por dois anos, renováveis por mais dois. O posto de abastecimento, montado no QG do Exército, é capaz de fornecer energia para até dois veículos simultaneamente, carregando-os em quatro horas e proporcionando até 200 km de autonomia. Esta energia será provida dos 360 painéis fotovoltaicos instalados e conectados a seis inversores solares com potência total de 90 kW.

Armazenamento de energia
De acordo com o Diretor Geral da Itaipu Binacional, Jorge Miguel Samek, o sistema de armazenamento de energia faz parte de um projeto mais amplo que deverá ser consolidado até o final do ano. “Nós queremos neste ano consolidar a implantação desse projeto e, a partir daí, entrar em escala e em uma dinâmica que vá abastecendo toda a necessidade que o Exército tem”, acrescentou.

Segundo ele, o primeiro grande container, que já saiu de Itaipu, chegará até o mês de maio. O sistema será instalado em pelotões de fronteira e em outras organizações militares do Exército na região amazônica. Este procedimento faz parte de um acordo de cooperação firmado entre a Força Terrestre, Itaipu e a Fundação Parque Tecnológico Itaipu.

Fonte: Ministério da Defesa