Seconci-SP atualiza estudo sobre inserção da pessoa com deficiência na construção

PCDIniciativa ajudará empresas da construção civil a cumprirem a Lei de Cotas

Devido aos riscos da atividade no canteiro de obras, não é uma tarefa fácil para o setor da construção civil incluir pessoas com deficiência (PCDs) em seus quadros. Para contribuir com este cenário, a versão atualizada do Estudo de Viabilidade para Inserção Segura de PCD na Construção Civil foi apresentada pela superintendente do Iepac (Instituto de Ensino e Pesquisa Armênio Crestana) do Seconci-SP (Serviço Social da Construção), dra. Norma Araujo, durante o evento “O novo Estatuto da PCD e a Lei de Cotas”, em abril, no SindusCon-SP, na capital paulista.

Norma Araújo já percorreu oito Estados apresentando o estudo de viabilidade de inserção da PCD no canteiro. Entre as 27 exposições realizadas, mais de 1.500 pessoas foram impactadas, entre médicos do trabalho, técnicos em segurança e profissionais de Recursos Humanos.

Os principais desafios para a inclusão foram compartilhados entre entes profissionais de diversos setores e de formações distintas.“As trocas de experiência foram inúmeras, e em cada uma das apresentações pelo Brasil, as dificuldades foram compartilhadas. A inclusão passa por diversos pontos, e empresas que atuam ativamente neste tema devem estar preocupadas também com: a divulgação das vagas de recrutamento; adequação no processo de seleção; qualificação da mão de obra; campanhas contra a discriminação; sensibilização para a inclusão; integração do PCD; acessibilidade; capacitação e qualificação da Segurança e Saúde do Trabalho (SST)”, disse a especialista.

Fonte: Seconci-SP